Como tratar dor nas costas

dor-nas-costas

Dor nas costas é um mal que atinge grande parte da população. Mas apesar de comum, é difícil combater esse incômodo. Aqui, sugerimos três maneiras de você tentar acabar com a dorzinha chata. Experimente!

Acupuntura

Dor nas costas, para a medicina oriental, significa que há uma grande concentração de energia naquele local. Ou, no extremo oposto, falta de energia. Por isto, durante a aplicação da acupuntura, o que acontece é um equilíbrio. “É preciso identificar como isso funciona no corpo do paciente e, através da aplicação das agulhas, fazer com que a energia flua para aquele lugar ou saia dele”, explica André Mattos, professor da Clínica Escola Adjon, de São Paulo.

A energia à qual a medicina oriental se refere é a fluidez do sangue, da linfa, que, parada, pode provocar pontos de inflamação. Já na explicação ocidental, ao pressionar certos pontos do corpo, ele produz uma substância chamada endorfina, que gera relaxamento e faz com que as inflamações diminuam. Daí o valor de analgesia de uma sessão de acupuntura.

Essa terapia é indicada para diferentes casos: de lombalgia simples até hérnia de disco. “Está constatado que 90% dos casos tratados com acupuntura funcionam melhor do que com medicamentos. Por exemplo, uma pessoa com dor nas costas que tome um antiinflamatório terá uma melhora de 5 pontos, numa escala de 0 a 10. Com a acupuntura é possível atingir 9 pontos na escala”, diz o professor e acupunturista. são necessárias de uma a cinco sessões para o alívio de dores agudas. Para processos crônicos, o mínimo são dez sessões.

Pilates

Criado pelo alemão Joseph H. Pilates, em 1920, a técnica trabalha o corpo de forma total e tem como objetivo flexibilizar e fortalecer músculos e articulações. A técnica une movimentos no solo e em aparelhos específicos criados pelo próprio Joseph. Segundo a fisioterapeuta e instrutora de Pilates Fabiana Freitas, do Equilibrium Pilates, em São Paulo, quem sofre de dor nas costas deve procurar o Pilates para Reabilitação, que trata qualquer patologia que gera dor. “Estes exercícios tratam escoliose, lombalgia, hiperlordose, hérnia de disco e espondilolistese”, afirma.

“O Pilates restaura o equilíbrio do corpo, promove organização, alinhamento e conseqüente melhora da postura. Tudo isso contribui para minimizar a dor. Promove interação entre os músculos e os tecidos despertando a musculatura profunda que nos faz sustentar melhor o corpo contra a gravidade e, com isso, diminuir a compressão na coluna”, diz Alice Becker Denovaro, educadora da Physio Pilates-Polestar, em São Paulo.

Após anamnese, o paciente faz uma aula experimental básica em que o profissional irá mostrar o que ele necessita. Em seguida, são pedidos exames clínicos e de imagem, que determinaram os exercícios que serão feitos. “O método funciona porque trabalha com diversas técnicas e não automatiza os movimentos. Os exercícios são dinâmicos e próximos aos movimentos presentes em nossa rotina”, avalia a instrutora. Na fase de dor, normalmente, são recomendadas aulas de 50 a 60 minutos, duas vezes por semana. Com a melhora, é possível passar para outros estágios do método.

RPG (Reeducação Postural Global)

É um método da fisioterapia que visa tratar problemas como a dor nas costas através da reprogramação da postura. Para descobrir os eventuais desvios de postura é feita uma criteriosa avaliação do paciente (parado e andando). “Observamos a região da dor, o apoio dos pés no chão, etc. O local da dor não é necessariamente onde está a causa do problema. Muitas vezes a contração ali é conseqüência de compensação muscular”, afirma a fisioterapeuta, especializada em RPG, Lara de Marchi, da Fitotraining, clínica paulista. Após a avaliação, as posturas de RPG são determinadas para colocar o paciente o mais próximo possível do seu eixo. A intenção é alongar as regiões tensas e aumentar o tônus muscular onde há deficiência. “No caso de dores nas costas, o RPG ajuda a corrigir os desvios posturais que levam àquela dor e registra uma nova sensação e padrão postural”, enfatiza Lara.

Segundo a especialista, a diferença do método com outras técnicas de manipulação é que o RPG trabalha com o tônus postural e a estrutura geral do corpo, que é ligado ao Sistema Nervoso Central (cérebro), ou seja, a mudança não acontece apenas na parte física, mas também na parte do cérebro que registra o corpo e os movimentos corporais. “Isso leva a uma alteração geral, não somente no local da dor. O RPG não pensa isoladamente no local da dor, mas leva em consideração todo o corpo”, finaliza.

O número de sessões de RPG podem variar e cada caso deve ser analisado isoladamente, porém, o tratamento, normalmente, é feito uma vez por semana.

//

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: